MÃE-GALINHA



2004-07-16

NADA MAIS SIMPLES

Há uns dias recebi um e-mail de uma amiga que me colocou uma pergunta muito difícil:
“Depois de meses a ler o "mãe-galinha", comecei a achar que tudo é perfeito na tua vida familiar. (...) Mas é mesmo assim, a tua vida? Nunca stressas com o João? Nunca tens problemas com as miúdas? (para além das tosses, etc...)? Se tudo é mesmo assim, parabéns (...). E como aguentas sem empregada um único dia na semana?”

Estive uns quatro dias sem conseguir responder-lhe. Andei a ponderar a resposta. A pensar se seria ou não feliz. E que medida teria essa felicidade. Saiu este mail:
“É verdade que no Mãe-Galinha transparece uma certa imagem de felicidade. É natural que isso aconteça, até porque gosto mais de escrever sobre acontecimentos felizes. Também escrevo muito sobre rotinas. E essas não são felizes nem infelizes. São rotinas, e pronto. Mas o blogue é um bocadinho do espelho da minha vida. Sou feliz. É raro chatear-me com o João, as miúdas não me têm dado grandes problemas.
Claro que tenho os meus dias. Há alturas em que só me apetece mandar tudo às urtigas, emigrar durante uma semana, dormir 8h seguidas (coisa que não faço há muito tempo) e não ouvir falar da família durante três dias. Mas passam-me depressa esses ataques.
(...) Tive momentos muito difíceis na minha vida e que me deram um calo muito grande para aprender a viver a vida com outros olhos. Tento viver um dia atrás do outro, sem grandes ilusões quanto ao futuro. Vivo o presente e tento, em relação ao passado, só guardar as boas memórias.
Aprendi a viver com o que tenho, que materialmente não é muito. Tenho três filhas, vivemos com dois ordenados que juntos não chegam aos 1200 euros, mas temo-nos uns aos outros. Com a compra da casa nova empenhei-me até às orelhas. Vamos ter que ser ainda mais poupados. Mas tudo se há-de arranjar.
Tenho noção que ajuda bastante à nossa harmonia familiar o facto de eu gostar de tratar das coisas da casa. Gosto de cozinhar, de tratar das roupas, enfim, gosto de ser eu a tomar conta de tudo. Mas tenho empregada 2 manhãs por semana para limpar a casa. Seria muito difícil....
Além disso, a minha mãe dá-me uma ajuda preciosa com as miúdas. (...)
No fundo, fazemos por ser felizes. Nada mais do que isso.”
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5